Escolha uma Página

Carnaval bombando, cidades e ruas repletas de gente e festas com as melhores iguarias que essa terra pode oferecer…e você vai ficar em casa em pleno domingo à noite?!

Lógico!!! Afinal, o Oscar é só uma vez por ano e esse ano não vai ser qualquer um…

Na sua 89ª edição, 2017 terá o Oscar da diversidade, da igualdade e, mais do que nunca, será a primeira vez de muita gente nova! E como a gente entende que você está se sentindo meio esquecido, nós separamos aqui os melhores momentos dos últimos 5 anos para você ficar pelo menos inteirado do assunto. Então vamos lá…soem as cornetas:

A PEXERA.COM orgulhosamente apresenta:

 

OS MELHORES MOMENTOS DO ÓSCAR (2012-2016)

2012 – O CLÁSSICO NÃO MORREU

Você lembra o que aconteceu em 2012?! Não né, você nem lembra o que comeu ontem no almoço…Bom, resumidamente, o mundo não acabou – acho que se os maias pudessem prever o futuro não seriam extintos em primeiro lugar – mas mesmo assim, esse foi um ano de reviravoltas nas tendências, onde o clássico e a velha escola do cinema mostraram mais uma vez que ainda mandam nessa paçoca. Primeiro, um longa Francês ganhou o Oscar de “Melhor Filme” com um filme MUDO e P&B, em plena era dos efeitos especiais; e não satisfeito ainda levou os prêmios de “Melhor Diretor”, “Melhor Ator” (Jean Dujardin), melhor figurino, melhor trilha sonora, enfim, melhor tudo, foi um verdadeiro Vive La Résistance da Sétima Arte! Foi também o ano da talentosíssima Meryl Streep demarcar território sendo, pra variar, incrível em um papel difícil que lhe caiu como uma luva. Ela levou mais uma estatueta vivendo mais uma dama de temperamento forte, a histórica primeira-ministra britânica Margaret Thatcher em “A Dama de Ferro” – se você não sabe quem é joga no Google. E para finalizar o ano, não podemos esquecer de Paris, afinal a meia noite dela rendeu outro Oscar para o rei Woody Allen como melhor roteiro original.

2013 – QUEM TEM CHROMA CAÇA COM GATO

2013 começou aos trancos e barrancos, com uma pequena quedinha da Jennifer Lawrence ao vivo. Afinal, subir aquelas escadinhas com apenas 22 anos deve pesar a perna de qualquer um. Ela levou sua primeira estatueta, com o filme “O Lado Bom da Vida”, mas já tinha no currículo uma indicação em 2010, por “Inverno da Alma”, o que lhe dá total direito de cair onde quiser no mundo. Tirando os tombos que a vida nos dá, esse ano teve “Argo” como melhor filme, dirigido e estrelado por Ben Affleck; que fez um brilhante trabalho mas também não tão bom ao ponto de concorrer à melhor diretor ao lado de Steven “Deus” Spielberg. No final, um cara de Taiwan surpreendeu todo mundo com uma belíssima direção em “As aventuras de Pi” e tirou a estatueta das mãos de Deus. E falando em deuses, não dá para esquecer do vencedor de melhor roteiro original, Django Livre, que é pelas minhas contas o terceiro milagre de Santo Tarantino.

2014 – A SELFIE E O PHOTOSHOP

Com selfie e tudo mais, 2014 teve Brad Pitt produzindo o filme vencedor, “12 Anos de Escravidão” que, com uma história marcante e forte, levou pra casa 3 homenzinhos dourados, além de melhor filme e melhor atriz coadjuvante para Lupita Nyong’o. Foi o ano das transformações, do extreme makeover, do Photoshop da vida real, foi o ano de “Clube de Compras Dallas”; onde o vocal do 30 Seconds To Mars, Jared Leto, viveu uma transexual portadora de HIV, levando para casa o Óscar de melhor ator coadjuvante, e do então musculoso Matthew McConaughey, que sofreu uma drástica mudança de peso e acabou vencendo o prêmio de melhor ator.

2015 – RELAXA, EU TENHO UM PLANO SEQUÊNCIA

2015 não foi um ano qualquer, foi o ano da sequência… Na verdade, do plano sequência que um mexicano maluco decidiu fazer em um filme. E não teria como não dar o prêmio de melhor diretor para Alejandro Iñárritu, além de premiar Birdman com as estatuetas de melhor filme, roteiro original e melhor fotografia. Afinal, temos sempre que louvar alguém corajoso o suficiente para não filmar um diálogo em X. No mesmo ano, o sofrimento de Julianne Moore em “Para Sempre Alice”, no papel de uma doutora que sofre com Alzheimer precoce, lhe rendeu o prêmio de melhor atriz em tudo que era possível além do Oscar. E para finalizar com classe, um destaque para a perfeição de Eddie Redmayne no filme “A Teoria de Tudo”, vivendo o gênio Stephen Hawking.

2016 – A PRIMEIRA VEZ DE UM HOMEM

2016 tinha tudo para ser igual 2015, mas o Oscar é uma caixinha de surpresas. Mais uma vez Alejandro Iñárritu venceu como melhor diretor, esse ano com “O Regresso”, que aliás levou também como melhor fotografia. Tudo estava tão certo como uma mega-produção, mas na última hora surgiu a zebra pra tirar a estatueta de melhor filme e colocar nas leves mãos de “Spotlight”, nem os mais confiantes apostadores acertaram essa. E para falar de 2016, temos que falar dele: Leonardo DiCaprio. O galã adolescente, depois de levar centenas de mulheres, finalmente levou um homenzinho dourado pra casa. Foi mais uma vitória de “O Regresso” e foi uma disputa difícil, pois tinha um menininho ali que quase ganhou uma estatueta antes de ganhar a primeira espinha. O brilhante filme “O Quarto de Jack” impactou o mundo e deu o Óscar de melhor atriz para Brie Larson sem nem dar o cheiro para concorrência.

 

Bom pessoal, esses foram os principais acontecimentos dos últimos 5 Oscar’s. Claro que teve muito mais coisa, afinal é a principal noite do cinema no mundo todo. Então prepare a pipoca e aquele refri pretinho (pode ser Coca, Pepsi ou Dolly Cola) e assiste a transmissão ao vivo pela TNT a partir das 21:00, e aproveitando, conecta seu pc, celular, SmartTV, tablet ou qualquer coisa que entre no Youtube e acompanhe junto os comentários ao vivo no canal da PEXERA, com a presença dos comediantes Bruno Motta, Osmar Campbell, Diego Becker e do jornalista Vinicius Rodrigues. Domingo as 21:00,

Acesse: https://www.youtube.com/user/pexeraproducoes

 

Notícias Relacionadas